Secretaria de Saúde

Veja quais são as dúvidas mais comuns sobre o Câncer de Mama

25/09/2019

O que é câncer de mama?

É resultado do crescimento descontrolado de algumas células do nosso corpo, que começam a se multiplicar sem parar e formam o tumor maligno. Se a doença demora em ser descoberta e tratada, esse tumor cresce cada vez mais e pode levar a pessoa à morte.

Aparece só em mulheres mais velhas?

Não. Ele atinge principalmente mulheres com idade a partir de 40 anos, mas também pode aparecer nas mais jovens.

Por que aparece?

Não há um motivo determinado, mas alguns fatores contribuem para as chances da doença aumentar, como a filha, mãe ou irmã ter apresentado câncer de mama antes dos 50 anos ou, em qualquer idade, câncer nas duas mamas ou de ovário.

Se uma mulher na família teve a doença, todas terão?

As chances são maiores, por isso o cuidado deve ser redobrado.

Por que os casos aumentam tanto?

Porque o estilo de vida da sociedade mudou muito nas últimas décadas, e as mulheres, em especial, passaram a sofrer mais com estresse e hábitos prejudiciais à saúde, como fumar e consumir bebidas alcoólicas em excesso.

Tem cura?

Sim, o câncer de mama tem 95% de chance de cura se descoberto no início.

Como se descobre no início?

Com a mamografia.

O que é mamografia? Dói? Toda mulher tem que fazer?

A mamografia é um raio-X das suas mamas, com uma radiação muito baixa, que não faz mal algum. Ela não dói quase nada se você esperar para fazê-la uma semana depois do último dia de menstruação. É ela que consegue descobrir a doença muito no início, o que faz com que as chances de cura sejam de quase 100%.


Toda mulher deve fazer, mas é o medico que determina quando é o momento para começar a fazer o exame como rotina. Procure a Unidade de Saúde mais próxima de você!

Quais os sinais da doença?

O câncer pode não dar sinal no início, por isso é importante ter os exames de rotina em dia. Já com o desenvolvimento da doença, a mama começa a apresentar alguns sinais externos. Segundo Instituto Nacional do Câncer (INCA), os principais são:

  • Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor nas mamas;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Caso a mulher identificar alguma alteração persistente nas mamas, deve procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

Dá para evitar?

Ter hábitos saudáveis e cuidar da qualidade de vida ajuda muito. Mas, ainda assim, a doença pode aparecer.

O que aumenta as chances de ter a doença?

Menstruar antes dos 12 anos ou chegar à menopausa depois dos 55 anos aumentam as chances. Há mais riscos quando a mulher não teve filhos, engravidou pela primeira vez após os 30 anos ou é obesa.

O médico precisa apalpar as mamas da paciente durante a consulta?

Sim, ele faz isso durante o exame clínico das mamas. Esse exame deve ser anual, e todas as mulheres, seja qual for à idade, devem fazer.

O que é o autoexame? Ele descobre a doença no início?

Ele não descobre a doença no início, pois, se a mulher consegue encontrar o tumor quando apalpa as mamas, geralmente é sinal de que ele já não está na fase inicial.
Você mesma faz o exame em casa, apalpando suas mamas e axilas com cuidado. Se perceber qualquer alteração, procure seu PSF. Mas lembre-se: o autoexame é um complemento, não substitui o exame clínico e a mamografia.

Faça o autoexame todo mês, contando 7 dias a partir do primeiro dia da menstruação. Se estiver na menopausa, marque um dia fixo todos os meses.

Mais informações

As unidades de saúde da Prefeitura não realizam mamografia. Elas fazem o atendimento e, se detectada a suspeita, dão o encaminhamento para se fazer a mamografia no SUS, o que é um direito da mulher durante qualquer época do ano.

Amulher que se enquadrar na faixa etária (a partir dos 40 anos) pode ir até as unidades de saúde e solicitar o encaminhamento.

Se for uma pessoa fora da idade de risco, o médico sempre faz o exame antes de pedir o encaminhamento. Se for levantada alguma suspeita no atendimento, o médico pede a mamografia.

Fique por dentro da Campanha Outubro Rosa, clique aqui.