• Home
  • /
  • Notícias
  • /
  • Setembro verde: campanha alerta para prevenção do câncer de intestino

Setembro verde: campanha alerta para prevenção do câncer de intestino

15/09/2022

A Prefeitura de Extrema, mais uma vez, se concentra na abordagem dessa temática, com o intuito de prevenir o câncer e disponibilizar gratuitamente consultas e diagnósticos da doença para o público de risco

A área da saúde em Extrema tem evoluído constantemente, seja pelo aumento no número do quadro de funcionários e pela aquisição de equipamentos tecnológicos para o funcionamento e agilidade nos atendimentos. Os profissionais seguem voltando à atenção para o cuidado de centenas de pacientes que são vítimas de diversas enfermidades e uma das que estão à tona e que precisam de certa evidência é o câncer colorretal, mais conhecido como câncer de intestino. Mediante ao número intenso dos casos, a equipe de saúde quer alertar quanto aos cuidados e garantir um bom trabalho de prevenção.

Já é sabido que o câncer radicalmente afeta várias regiões do organismo e mensalmente são promovidas várias campanhas midiáticas de prevenção dessas tantas enfermidades existentes, visto que após normalização da Covid-19, os cuidados à saúde tem se restringido por parte da população. Dessa vez o câncer evidenciado é aquele que atinge o intestino grosso com o surgimento de um ou mais pólipos – lesões que aparecem na parede do intestino grosso (cólon) – como se fosse uma verruga. Essas lesões são muito comuns, estando presentes em mais de 30% da população adulta.

Apesar de ser habitualmente benignos, uma pequena parte deles tem potencial para se transformar em câncer de cólon ao longo dos anos, contudo a maneira mais eficazes de evitar com que esses pólipos evoluam é realizando a remoção dele por meio de uma colonoscopia. Antes de tudo é necessário entender que essa doença é silenciosa, mas na etapa mais agravante o paciente começa a apresentar os seguintes sintomas: sangue nas fezes, alteração o hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternado), dor ou desconforto abdominal, fraqueza e anemia, perda de peso sem causa aparente e alteração na forma das fezes (fezes muito finas e compridas).

As principais causas do desenvolvimento estão relacionadas por diversos fatores, tais como: excesso de peso corporal, alimentação não saudável, ingestão exacerbada de carne vermelha, carnes processadas e embutidos, consumo excessivo de álcool, tabagismo, histórico familiar (casos em parentes de 1° grau) e sedentarismo.

A anamnese é a primeira etapa realizada pelo sistema de saúde, antes de qualquer contato físico com o paciente, pois é necessário verificar se houve alguma alteração intestinal e entender o que o paciente de fato está sentindo. Ao todo 23 itens são compostos na entrevista feita pelos profissionais, procurando verificar as principais características do funcionamento do sistema intestinal e sinalizar ainda alguns pontos sintomáticos em que o paciente tem observado ao longo do tempo.

Apesar do exame de rastreamento ser indicado a partir dos 50 anos de idade, é importante ressaltar que o câncer de intestino está se tornando mais comum entre os jovens, já que estes vivem uma vida alimentar desregrada, no qual se torna um fator de risco para o surgimento de tumores malignos.

No Brasil, o câncer de intestino é o segundo que mais causa óbitos. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) em 2020 a estimativa ultrapassou 40 mil novos casos da doença, número este 2x maior do que já registrado em 2019, quando as pesquisas apontavam mais de vinte mil casos ao ano.

Buscando defender a causa e cumprir com a responsabilidade de cuidar da saúde da população, a Prefeitura de Extrema disponibiliza, desde 2017, o diagnóstico gratuito, intensificando ainda mais o serviço nesse mês de setembro: “Esperamos atender em Setembro entre 500 a 700. A oferta de exames é indiscriminada dentro da faixa etária de 50 a 75 anos e está condicionada à realização da consulta. O paciente faz a consulta e nela é identificada se há a necessidade de fazer o exame ou não”, reforçou a coordenadora da Atenção Primária à Saúde.

Segundo ainda a coordenadora, o paciente é submetido a duas fases de atendimento, sendo que a primeira consiste na teleconsulta ou atendimento presencial nas ESFs de todo município, direcionado com um questionário (anamnese) que deverá ser preenchido. Se o paciente apresentar sintomas este será encaminhado para uma consulta e, se necessário, será feita a coleta do PSOF (Pesquisa de Sangue Oculto nas Fezes). Lembrando que o PSOF é direcionado somente para pessoas que ainda não foram contempladas pelo teste em outras ocasiões.

Após os resultados do teste, os pacientes que não obtiveram alta em razão de alguma alteração serão submetidos à segunda etapa, que compreende análise dos resultados de exames e a solicitação do agendamento do procedimento para identificar lesões, pequenos sangramentos e pólipos localizados na parede intestinal. Os pacientes com casos mais graves terão suporte terapêutico devido à complexidade do caso e terão segmento com acompanhamento de profissionais da saúde.

Ao longo do mês, haverá uma busca ativa da população adulta com a faixa etária entre 50 e 75 para rastreamento do câncer de colorretal, sendo realizado acompanhamento nos casos mais graves. Além disso, demais atividades serão promovidas pelo NASF, a fim de difundir uma alimentação saudável, unindo educação, saúde e lazer.

A Campanha é voltada para a faixa etária de risco, porém todos os pacientes devem procurar o serviço se tiverem sintomas. Em caso de dúvida, quanto algum direcionamento descrito na matéria, se dirija até a Unidade de Saúde mais próxima da sua casa e faça uma consulta preventiva.