Secretaria de Saúde

Secretaria de Saúde realiza Semana de Combate à Hanseníase

10/01/2019

Entre os dias 14 e 18 de janeiro, a Secretaria de Saúde de Extrema realiza a Semana de Combate à Hanseníase. Ao longo dos cinco dias, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) realizam palestras e testes gratuitos para toda a população. Procure o PSF do seu bairro, participe e saiba mais sobre essa doença, que é infecciosa, mas tem cura, se tratada corretamente.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen, tendo sido identificada no ano de 1873 pelo cientista Armauer Hansen. É uma das doenças mais antigas, com registro de casos há mais de 4.000 anos, na China, Egito e Índia. A doença tem cura, mas, se não tratada, pode deixar sequelas.

Hoje, em todo o mundo, o tratamento é oferecido gratuitamente, visando que a doença deixe de ser um problema de saúde pública. Atualmente, os países com maior detecção de casos são os menos desenvolvidos ou com superpopulação.

Os sinais e sintomas mais frequentes da hanseníase são:

  • Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.
  • Áreas com diminuição dos pelos e do suor;
  • Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas;
  • Inchaço de mãos e pés;
  • Diminuição sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos;
  • Úlceras de pernas e pés;
  • Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos;
  • Febre, edemas e dor nas juntas;
  • Entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz;
  • Ressecamento nos olhos.

Saiba mais sobre a hanseníase.