Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Minas de olho em Extrema: cidade chama atenção e atrai representantes do Governo

13/01/2020

O fato de Extrema ter assumido o posto de maior economia do Sul de Minas chamou a atenção do Governo Estadual e boas oportunidades podem surgir de novos projetos. Thiago Toscano presidente e João Paulo Braga diretor da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI) estiveram em Extrema conhecendo os projetos da atual gestão e visitando algumas empresas.
Foi a primeira vinda deles à Extrema e o primeiro dia da visita foi dedicado a conhecer internamente o trabalho de atração de investimentos tocado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e considerado um dos melhores de Minas Gerais. “Seguindo o Plano de Governo da atual gestão, fazemos uma busca ativa por empresas que são interessantes para o município. Também melhoramos a cada dia os serviços de recepção do investidor num trabalho conjunto entre Secretarias que vão de Obras ao Meio Ambiente, da Fazenda Municipal à Vigilância Sanitária, são muitos servidores trabalhando para que o investidor seja recebido da melhor maneira possível e opte por estar em Extrema”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Adriano Carvalho.
Os diretores do INDI tiveram a oportunidade de visitar alguns empreendimentos que estão programados para entrar em atividade em 2020. Na construção da nova fábrica da DIMEP, no Bairro do Pessegueiros, conversaram com o presidente da empresa, Dimas de Melo Pimenta que frisou “construir uma fábrica não é uma coisa simples, envolve muitas questões, e, principalmente muito dinheiro investido. Contar com o apoio da Administração Municipal em todas as fases nos dá segurança e confiança para ir frente. Em breve traremos a empresa toda para a cidade”.
Na região da Vargem do João Pinto onde está nascendo o maior complexo logístico do Sul de Minas, o presidente do INDI ficou impressionado. “A parceria entre a Prefeitura e os investidores vai gerar um desenvolvimento incrível para a cidade, que se reflete em emprego, oportunidades para os empreendedores e arrecadação”.
A missão do INDI é desenvolver Minas Gerais por meio da atração de investimentos, apoio às empresas instaladas e promoção das exportações. A Agência é vinculada à Secretaria do Estado Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, e no segundo dia visitou as empresas Tembici, Panasonic e Barry Callebaut.
Nas visitas puderam conhecer melhor os projetos, investimentos e também os desafios a serem vencidos para o desenvolvimento. Dois obstáculos apareceram em todas as conversas: a oferta do gás natural e o serviço prestado pela COPASA.
O gás natural é uma das fontes energéticas mais competitivas e eficientes que as empresas poderiam usar aumentando a competitividade e a produção. Até março deste ano, a Gasmig, empresa estatal de gás, inicia um projeto piloto com a Bauducco. “O ideal é o investimento numa rede de fornecimento que seja capaz mesmo de atender as empresas e fomentar o desenvolvimento”, reforçou o diretor do INDI, João Paulo Braga.
Já quanto a COPASA, que é outra estatal, o presidente do INDI, Thiago Toscano reforçou que em todos os municípios ela aparece como “um obstáculo ao desenvolvimento e isto precisa ser resolvido”.
Todas as informações serão levadas para o Governo de Minas e um plano de trabalho deve ser iniciado nas próximas semanas.