Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Informativo Técnico ao amigo pecuarista

04/12/2019

Doenças que afetem o setor reprodutivo:

A eficiência reprodutiva é um fator de grande impacto no retorno econômico da pecuária. Sabe-se que doenças infecciosas são responsáveis por cerca de 40 a 50 % das causas de perdas de gestação, sendo que a Rinotraqueíte Infecciosa Bovina (IBR), a DiarreiaViral Bovina (BVD) e a Leptospirose vêm sendo associadas com estas desordens reprodutivas.

A IBR é uma doença viral de distribuição mundial causada pelo herpes vírus bovino tipo 1 (BHV-1). O vírus da IBR tem efeito negativo na fertilidade, pois influencia na qualidade dos embriões, causa morte embrionária e aborto.

A BVD também é uma doença infecto-contagiosa causada por vírus com reflexos negativos na reprodução. De forma sucinta, quando fêmeas gestantes soronegativas são infectadas, o vírus da BVD atravessa a placenta e alcança o feto, causando diferentes graus de lesões macroscópicas que vão de imperceptíveis a fatais (morte fetal). A ocorrência de aborto e de defeitos congênitos são as consequências decorrentes dessa infecção com maior importância econômica na bovinocultura. Muitos especialistas acreditam que a BVD é a causa mais importante de aborto em bovinos.

Já a Leptospirose é uma doença infecto-contagiosa causada por bactérias do gênero Leptospira. Nos bovinos encontramos principalmente as sorovariedades L. hardjo, L. icterohaemorrhagiae, L. pomona, L. grippotyphosa, L. canicola, L. goiano e L. guaicurus, sendo que outras variedades também podem causar infecções. Em bovinos adultos os sintomas reprodutivos são os mais importantes, sendo que em fêmeas gestantes pode ocorrer morte fetal e aborto no final da gestação. A infertilidade também pode ser uma sequela da doença.

 Pode-se considerar que no Brasil essas três doenças têm caráter endêmico, sendo mais ou menos frequentes em determinadas regiões. Espera-se, portanto, que seu impacto na eficiência reprodutiva dos rebanhos seja alarmante, acometendo diretamente a taxa de prenhes e a perda gestacional e indiretamente a produtividade do animal.

Controle e profilaxia

Devemos adotar o controle preventivo das tais enfermidades, ocorrendo o uso de vacinar usado no pré e pós parto e consequentemente os reforços anuais.

Para mais informações consulte o Médico Veterinário, pois ele é a peça fundamental para o sucesso de nossa Pecuária.