Secretaria de Desenvolvimento Econômico

Extrema lidera geração de emprego no Sul de Minas e região Bragantina

24/01/2019

Extrema encerrou o ano de 2018 como a maior geradora de empregos do Sul de Minas e região Bragantina. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (23) pelo Ministério da Economia, que agora é o responsável pela divulgação do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No acumulado do ano, Extrema gerou 1.526 empregos, ficando à frente de municípios como Pouso Alegre (1.490 empregos gerados), Bragança Paulista (1.002), Atibaia (565), Itatiba (403) e Janiru (351). Algumas importantes cidades da região fecharam o ano com mais demissões do que contratações, como foi o caso de Varginha (saldo de -83 empregos) e Poços de Caldas (-24).

O excelente resultado obtido por Extrema reflete a política de atração de empresas, o que será intensificado em 2019, quando é esperado cerca de R$ 1 bilhão em investimentos por parte da iniciativa privada. O total de projetos em fase de implantação e as expansões anunciadas das empresas que já estão em Extrema são um dos maiores do Sul de Minas. Um dos exemplos é o Extrema Business Park, novo centro logístico-industrial da Fulwood que será construído próximo à Rodovia Fernão Dias. O lançamento do projeto aconteceu nesta quarta, e o início das obras está marcado para fevereiro. O Extrema Business Park será realizado em duas etapas, sendo que a primeira fase receberá investimentos de cerca de R$ 150 milhões e terá área construída de 75 mil metros quadrados. Estão previstos aproximadamente 2 mil empregos diretos.

Extrema Business Park

Extrema Business Park

Além de liderar a geração de empregos, Extrema assumiu a vice-liderança no ranking dos maiores PIBs (Produto Interno Bruto) do Sul de Minas. Os dados do IBGE, referentes ao ano de 2016, apontam que o PIB da cidade alcançou R$ 6,179 bilhões. O número não se refere à renda da população, mas é uma medida do valor dos bens e serviços que o município produz na agropecuária, indústria e serviços. Em Extrema, o crescimento no PIB é dado principalmente ao desenvolvimento industrial, resultado do planejamento estratégico para atrair indústrias. Atualmente são 325, com uma população estimada em 35 mil habitantes. Hoje Extrema tem indústrias divididas em 14 setores diferentes. Entre eles, o chocolateiro, responsável pela 4ª maior produção de chocolates do Brasil e o de e-commerce, que já responde por 12,5% de todas as compras on-line do país.