• Home
  • /
  • Notícias
  • /
  • Dezembro Verde: Extrema sinaliza bandeira verde e compactua com campanha voltada para o combate ao abandono e maus-tratos de pets

Dezembro Verde: Extrema sinaliza bandeira verde e compactua com campanha voltada para o combate ao abandono e maus-tratos de pets

20/12/2022

Compartilhe:

Abandono de animais é crime previsto na Lei Art. 32 da Lei nº 9.605/98, com pena de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, além de aplicação de multa e proibição da guarda

A Campanha “Dezembro Verde” é o atual projeto evidenciado no trabalho da equipe do Centro de Controle de Zoonoses de Extrema, que nesta época de final de ano prioriza a atenção aos animais que são abandonados na cidade e em locais mais afastados, num triste cenário de solidão e crueldade.

Esse grande problema se intensifica no mês de dezembro em razão das férias, viagens e festas de final de ano e que transcorre até meados de fevereiro. Em razão disso, foi criada a Campanha “Dezembro Verde”, que vem com o intuito de combater essa crueldade gerada por tutores que abandonam os animais e provocam ainda os maus-tratos aos cães e gatos.

Dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que no Brasil existem 30 milhões de animais em situação de rua – na maioria vítimas de abandono – sendo ao todo 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães. Em Extrema, números denotam que nos últimos dois meses, cerca de 50 filhotes, entre cães e gatos, foram identificados em situação de abandono no meio do mato ou em rodovias e que, felizmente, foram resgatados pela equipe do Centro de Controle de Zoonoses.

Embora o abandono de animais seja crime previsto pela Lei Nº 9.605, muitas pessoas ainda largam os cães nas ruas, em locais afastados, estradas e até os mantém trancados dentro de casa, sem alimento e água suficientes.

Dados da “Cobasi Cuida” apontam que 89,5% dos abandonos são motivados por mudança de residência. Além disso, outras desculpas são usadas para justificar o comportamento: latido excessivo, destruição de objetos, doenças ou até mesmo o envelhecimento do pet. É notável em todas as situações que não há comprometimento com a vida do animal.

Todas as desculpas usadas para o abandono se direcionam a dois fatores: impulsividade na hora de adotar, falta de conhecimento sobre as necessidades do animal e falta de planejamento a longo prazo, envolvendo rotina, dinheiro e tempo.

Acima de tudo, é preciso pensar na qualidade e na expectativa de vida do cachorro. Cada fase do animal exige cuidados específicos, desde a mudança na alimentação até a rotina. Castrar, vacinar, alimentar corretamente, passear todos os dias, brincar e receber atenção é um dever que todo tutor deve ter com o seu cão ou gato, por isso, adotar porque achou o cão fofo, porque se sente entediado ou para presentear alguém, por exemplo, são situações que podem facilmente impulsionar um possível abandono.

Cientificamente, já foi comprovado que os cães fazem bem para a saúde física e mental dos seres humanos sim, porém o cuidado e a atenção devem ser o essencial para retribuição de todo esse bem gerado. Adote um pet se realmente puder cuidar e tiver disponibilidade e acima de tudo: diga não ao abandono de animais!