Secretaria de Governo

Cuidados com o álcool em gel

30/04/2020

Com a pandemia do Coronavírus, o álcool em gel 70% se tornou o nosso aliado na prevenção ao vírus, mas devemos tomar alguns cuidados nos lugares onde guardamos o frasco.
Por exemplo no carro, a temperatura no interior do veículo pode ficar alta, e dependendo da posição e do sol, os vidros do carro podem se tornar uma lupa, esquentando o produto, que em contato com uma faísca ou oxigênio, pode provocar um incêndio. Se esse caso ocorrer, o seguro do carro ou o Bombeiro deverá ser acionado rapidamente, para não causar mais danos.
Outro lugar que pode se tornar perigoso é o fogão. O frasco de álcool em gel não pode ficar perto de fogões e churrasqueiras, para evitar o contato da substância com alguma faísca.
Podem acontecer algumas queimaduras com o uso indevido do álcool em gel. Existem 3 tipos de queimaduras, a de primeiro grau, que atinge apenas a camada superficial da pele (epiderme), com vermelhidão local. Ardência e inchaço; a de segundo grau, que atinge as camadas mais profundas da pele (derme), com presença de bolhas, inchaço e dor intensa; a de terceiro grau ocorre lesão de toda a pele, atingindo os tecidos mais profundos como os músculos, curiosamente, esse tipo pode não ser doloroso, já que as terminações nervosas, que geram a dor, são destruídas junto com a pele.
Procedimentos em casos de queimadura:
Se a queimadura for causada por substância inflamável (álcool, gasolina, thinner):
o Apague a chama com um pano limpo úmido (de preferência);
o Esfrie a lesão com água gelada ou corrente;
o Proteja a área queimada com um pano limpo;
o Não alimente a vítima;
o Encaminhe imediatamente a vítima para o hospital.
Se a queimadura for causada por substância química (ácidos e bases):
o Lave exaustivamente a área queimada com água corrente;
o Proteja a área queimada com um pano limpo;
o Não alimente a vítima.
o Caso haja lesão da mão ou dos dedos, eleve o braço para diminuir a hemorragia.
O que NÃO fazer em caso de queimadura:
o Nunca aplique produto caseiro como sal, açúcar, pó de café, pasta de dente, pomadas, ovo, manteiga, óleo de cozinha ou qualquer outro, pois eles podem complicar a queimadura e dificultar um diagnóstico mais preciso. As soluções caseiras para diminuir a dor e a ardência das queimaduras podem piorar e até causar infecção no local atingido;
o Não tente tratar a vítima sem ter o conhecimento médico-científico necessária para a cura da lesão;
o Não aplique gelo diretamente sobre o local, pois isso pode piorar a queimadura;
o Se houver roupa grudada na região da queimadura, não remova. Apenas corte a mesma ao redor da lesão;
o Nunca fure as bolhas;
o Não demore em pedir auxílio especializado. Em caso de dúvida, sempre procure o hospital. Quando mais tardio for o início do tratamento, pior. Queimaduras na face, genitália, mãos e pés são sempre considerados graves, devendo ser procurado atendimento hospitalar imediatamente;
o Evite também pomadas ou remédios naturais, assim como qualquer medicação que não for prescrita por médicos;
o Em caso de ingestão de produtos cáusticos ou queimaduras em boca e olhos, lavar o local com bastante água corrente e procurar atendimento médico imediato;
o Não toque a área afetada;
o Não respire a fumaça em caso de incêndios. Lembre-se que a inalação de fumaça pode causar queimaduras nos pulmões e brônquios, mesmo que não haja queimadura externa visível. Caso o ambiente esteja com muita fumaça, pode-se diminuir a inalação com um pano molhado próximo do nariz e boca e se locomovendo agachado, com o nariz bem próximo ao chão (onde a concentração de fumaça é menor);
o Não cubra a queimadura com algodão.

Em todos os casos, deve-se encaminhar o paciente para um hospital.
Acione o Corpo de Bombeiros Militar imediatamente pelo telefone de emergência 193