Secretaria de Saúde

Campanha contra o Sarampo se inicia no dia 10 de fevereiro

06/02/2020

De 10 de fevereiro a 13 de março de 2020 acontecerá a campanha de vacinação contra o Sarampo. A ação irá imunizar pessoas de 5 a 19 anos de idade não vacinadas ou com esquema de vacinação incompleto para o sarampo e será realizada de forma seletiva, de acordo com as indicações do Calendário Nacional de Vacinação, a partir da avaliação do cartão ou caderneta de vacinação deste público.

Pessoas desta faixa etária deverão comparecer às salas de vacina levando a caderneta de vacinação para que seja avaliada e o esquema vacinal atualizado, quando necessário.

Além do Sarampo, a vacina Tríplice Viral protege contra a Caxumba e Rubéola. Fique atento aos horários das salas de vacinação.

Locais:

Sala de Imunização

Segunda a sexta-feira, das 08h30 às 16h45

Rua Presidente Kennedy, 355 – Centro (antigo Pronto Socorro)

Sala de Imunização da UBS do Bairro Ponte Nova

Segunda a sexta-feira, das 08h às 17h

Alameda Madri, 45 – Ponte Nova

Sala de Imunização da UBS do Bairro Vila Esperança

Segunda a sexta-feira, das 08h às 17h

Quarta-feira: horário do trabalhador até 19h

Rua Portugal, 159 – Vila Esperança

Dia D de mobilização nacional da campanha: 15 de fevereiro (sábado)

Local: apenas na Sala de Imunização do Centro, das 08h às 17h

Esta ação envolve as três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS), contando com recursos da União, das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e Secretarias Municipais de Saúde (SMS).

CAMPANHA DE TRÍPLICE VIRAL

O sarampo é uma doença viral, de transmissão respiratória sendo altamente contagiosa. Após exposição a um caso de sarampo, praticamente todos os indivíduos suscetíveis adquirem a doença.

Os sintomas geralmente aparecem de 7 a 18 dias após a exposição a um caso e incluem: febre, coriza, tosse, conjuntivite e manchas avermelhadas por todo o corpo. O vírus pode ser transmitido 5 dias antes e 5 dias após a erupção cutânea. Desta maneira, não é possível determinar quando a exposição poderá ocorrer.

O sarampo pode cursar com complicações muito graves e, em alguns casos, a morte. Cerca de 30 por cento dos pacientes infectados desenvolvem uma ou mais complicações, como infecções de ouvido, pneumonia ou encefalite.

Considerando que até janeiro de 2020 a circulação do vírus do sarampo permaneceu ativa no País e diante da necessidade de proteger a população contra a doença, neste ano, o Ministério da Saúde, juntamente com os estados e os municípios, irá realizar a vacinação contra o sarampo.