• Home
  • /
  • Notícias
  • /
  • Campanha animal conscientiza extremenses no cuidado com os pets no trânsito

Campanha animal conscientiza extremenses no cuidado com os pets no trânsito

11/05/2022

Centro de Controle de Zoonoses apresenta dicas para proteção dos animais durante o transporte particular e locomoção deles em vias públicas

Mais uma vez o Centro de Controle de Zoonoses lança uma campanha de prevenção voltada para os cuidados mais expressivos aos animais e, seguindo as temáticas já elaboradas neste mês de maio, o serviço municipal quer conscientizar à população quanto ao bom senso em se atentar à locomoção dos animais nas vias públicas e realizar o transporte adequado dos pets dentro dos veículos.

Todos os anos centenas de cães, gatos e animais silvestres são vítimas dos acidentes de trânsito, causando sofrimento tanto para os animais como para seus proprietários, que por vezes recorrem às redes sociais e grupos virtuais para propagar o desaparecimento de seus animais domésticos.

Os acidentes mais comuns envolvendo animais domésticos e silvestres no trânsito são atropelamentos, principalmente em avenidas movimentadas e nas estradas urbanas e rurais. É importante ressaltar que, em caso de atropelamento de animais, a omissão de socorro pode ser considerada crime ambiental, de acordo com artigo 32 – Lei n° 9065/1998. A lei considera que maus tratos é o ato de “abandonar animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, bem como deixar de ministrar-lhe tudo o que humanitariamente se lhe possa prover, inclusive assistência veterinária”.

Outra situação que também causa incidentes no trânsito é o transporte incorreto de animais em veículos automotores, pois muitos tutores levam seus cachorros no colo de um passageiro, na garupa de uma motocicleta ou deixam seus cães soltos dentro do carro para que possam colocar o rosto para fora da janela, situações estas que não apresentam nenhum tipo de segurança para o animal e nem tampouco pro motorista, pois basta uma freada brusca para que o pet possa ser arremessado dentro do carro, se ferindo ou podendo machucar alguém.

Confira algumas dicas para evitar acidentes durante o transporte dos animais:

Não se esqueça do cinto de segurança:

O cinto de segurança próprio para cães é uma ótima opção para transportar os pets, pois além de seguro, o cachorro pode visualizar o tutor e a paisagem externa, ficando mais calmo e sofrendo menos com temperaturas mais altas. É importante ressaltar que o cinto deve ser usado com um peitoral, não podendo ser usado com uma coleira ou enforcador, pois há o perigo de gerar asfixia e lesões na coluna cervical do animal durante algum impacto.

Use caixas de transporte:

A opção mais segura para gatos, aves, roedores e pequenos mamíferos são as caixas de transporte, já que ela serve para possibilitar com que o animal fique em pé, podendo rotacionar, não esquecendo que essa caixa deve estar presa ao cinto de segurança, pois se não tiver segura, esta também pode ser arremessada em caso de acidentes ou freadas.

Também não é recomendado levar a caixa de transporte no porta-malas, mesmo que ela possa ser fixada, a má ventilação é perigosa e gera estresse para o animal.

Se preferir, use a cadeirinha para pet:

Para cães de pequeno e médio porte (até 15 kg), também existe a opção de cadeirinha, que restringe a área de circulação do pet, mas permite que ele interaja com o ambiente. O importante é seguir as recomendações do fabricante para fixar a cadeirinha no banco traseiro e atar o gancho de segurança no peitoral do animal.

Riscos e cuidados extras:

Os animais não devem ser transportados nas picapes dos veículos, pois, além de não possuir o suporte adequado para o transporte, o animal seria facilmente arremessado em freadas bruscas, curvas ou acidentes. Além disso, ele pode ficar exposto ao frio, sol, chuva, vento em excesso e poluição.
Em viagens ou passeios mais demorados é necessário realizar uma parada a cada duas horas para que o animal possa se movimentar, fazer as necessidades, beber água e se alimentar em pequenas quantidades.

Dirigir com animais no colo, no meio das pernas ou do lado esquerdo do motorista é considerado infração média (multa e mais quatro pontos na carteira), já aqueles que forem flagrados pela Polícia com os animais soltos dentro do carro, serão multados e levarão três pontos na carteira.

Evite multas e acidentes, utilize o cinto de segurança próprio para animais ou os demais meios já mencionados anteriormente. Lembre-se: Você é o responsável pela vida dos animais no trânsito, por isso contribua com essa causa ou denuncie se presenciar alguma ação inoportuna.