Secretaria de Turismo

Árvores passam por exames de tomografia

11/07/2019

Pela primeira vez em Extrema, por indicação dos profissionais vinculados ao “Projeto Praça”, foram realizados exames de tomografia nas árvores para determinar a necessidade de corte ou não. O exame mapeia o interior da árvore e suas raízes.

Problemas estruturais no tronco e contaminação por parte de fungos e parasitas podem provocar a queda de galho e até mesmo da árvore madura, potencializando a ocorrência de acidentes.

Havia uma preocupação de que as árvores ao lado do Santuário de Santa Rita estivessem com suas raízes crescendo embaixo da construção, mas os exames revelaram que elas estão saudáveis e não comprometem a igreja.

O projeto da reforma foi refeito para manter as árvores saudáveis. Elas receberão cuidados em suas raízes e copas, e durante a obra serão protegidas. Já as doentes, terão que ser removidas.

A realização da tomografia ficou sob a responsabilidade do Engenheiro Agrônomo, especialista em silvicultura urbana e professor em Ciências Florestais da Universidade de São Paulo, Dr. Demóstenes Ferreira da Silva Filho. “Primeiro observamos o exterior da árvore para constatar comprometimento na madeira, como buracos causados por broca ou reprodução de fungos”.

Foram instalados sensores em volta da árvore, para então, provocar vibração batendo com um martelo em cada sensor. “Os demais sensores captam a onda de impulso gerada por meio da madeira, apontando os resultados através do software no computador. Quanto mais rápida a velocidade dessa vibração, melhor esta o tecido da madeira”, acrescenta.

O software detecta a velocidade das vibrações e gera a imagem interna da madeira. É através do gráfico mecânico que são apontados dados de resistência da árvore. O resultado parcial aparece na hora, porém é necessário fazer análise e laudo das imagens.

O equipamento utilizado é alemão e o exame, entre montagem do equipamento até o resultado, dura em média 1 hora.